Capão Bonito, 18 de julho de 2024

Destaque

Capão Bonito e os caminhos para o desenvolvimento

Destaque

Capão Bonito e os caminhos para o desenvolvimento

Capão Bonito é ainda um jovem município se compararmos com as principais cidades do interior paulista, entre elas Sorocaba e Itapetininga. Neste aniversário de 161 anos de fundação, Capão Bonito começa a colher os bons resultados econômicos do que plantou nos anos de 2017 e início de 2018.

As medidas de ajustes fiscais adotadas pelo prefeito Marco Citadini desde o início de seu mandato, enxugaram a máquina pública ao diminuir gastos com despesas desnecessárias, cargos de confiança e corte no número de secretarias, com isso, aumentou-se o poder de investimento público em obras e programas que fomentam a economia da cidade.

É lógico que os resultados não surgem de um dia para outro. O novo Distrito Industrial é um exemplo daquilo que se colhe a longo prazo. A nova área foi doada pela antiga VCP, hoje Fibria, ainda no mandato no ex-prefeito Junior Tallarico. No mandato do ex-prefeito Julio Fernando, que começou em 2009 e se encerrou em 2016, a documentação para a regularização da área ficou praticamente parada em alguns órgãos estaduais e federais.

A doação foi efetivada de fato através de um trabalho político do então vice-prefeito de Julio Fernando, Marco Citadini, junto à Cetesb e ao Incra, e que também contou com o apoio do deputado estadual José Zico Prado. Hoje, o Distrito Industrial está apto a receber seus primeiros investimentos e é a principal esperança de geração de emprego e renda da cidade, integrada com outros setores como Turismo, Agronegócio, Reflorestamento, Minério, e Comércio e Serviços.

Em menos de um ano, a Prefeitura já concedeu 60% da totalidade da área do Distrito Industrial II a novos empreendimentos e os primeiros investimentos em infraestrutura estão previstos ainda para o primeiro semestre deste ano, como a implantação de água e esgoto. Para colaborar com o projeto e acelerar o início da atividade produtiva, os empresários que foram contemplados se uniram e formaram uma associação, com isso, ganham poder de negociação na compra de materiais de construção e ainda auxiliam a Prefeitura na execução dos serviços como implantação de saneamento básico e energia elétrica.

Além disso, o novo Distrito Industrial, que já está regularizado documentalmente, está caminhando de acordo as características econômicas da cidade, como explica o prefeito Marco Citadini. “Empresário só investe onde enxerga lucro e é isso que estamos fazendo no novo Distrito Industrial. Temos que oferecer vantagens ao empresário e essas vantagens estão concentradas naquilo que temos como matéria-prima e na logística, onde estamos a 222 de São Paulo e a 260 km de Curitiba. Capão Bonito é o centro estratégico rodoviário via Mercosul”, explicou.

Processamento de Alimentos

Aproveitando o grande potencial produtivo de legumes e verduras, uma das empresas que foi contemplada no novo Distrito Industrial é a At-Gel. De acordo com o empresário, serão investidos cerca de R$ 15 milhões para a instalação da empresa em uma área de 26 mil metros do Distrito Industrial e gerará aproximadamente 150 empregos na cidade. “Vamos realizar parcerias com os produtores agrícolas de Capão Bonito para compramos os produtos deles, e depois realizamos os processos industriais e vendemos para o mercado”, explicou.

Ainda de acordo com Carlos, a ATI-GEL se destaca na produção de brócolis, couve flor, batata e cenoura, sendo que toda a planta fabril será instalada em Capão Bonito e que a escolha da cidade se deve ao clima e à força da agricultura capão-bonitense. “Isso ajudou muito a nos interessarmos em virmos para Capão Bonito e também pela recepção e oportunidade que a Prefeitura nos proporcionou por meio dos investimentos no Distrito Industrial”, ressaltou.

Facebook
Twitter
WhatsApp

Veja também